Monday, 27 July 2020 10:57

Álvaro Parente – recuperação interrompida em Imola

Written by
Rate this item
(0 votes)

Álvaro Parente disputou, no Circuito Enzo e Dino Ferrari, Itália, a primeira ronda do GT World Challenge Europe Endurance Cup, tendo um incidente condicionado o seu resultado.

A qualificação não correu de forma perfeita ao trio do Bentley Continental GT3, uma vez que, devido ao muito tráfego em pista, o português, Andy Soucek e Jordan Pepper ficaram com o décimo quarto posto da grelha de partida para a corrida de três horas, que se realizou este domingo.

A prova começou bem à equipa do carro número nove, com o jovem sul-africano a conseguir subir três posições nas primeiras voltas, dando o mote para uma recuperação numa pista em que as ultrapassagens não são fáceis de executar.

Com uma paragem nas boxes rápida e no momento certo, o Bentley número nove continuou a subir na classificação, saindo Andy Soucek das boxes no oitavo posto. Com o espanhol a ganhar mais três posições durante o seu turno, as expectativas do trio da K-PAX Racing aumentavam e um lugar no pódio passava a ser uma possibilidade.

No entanto, na segunda paragem nas boxes, com muitos carros no “pit-lane”, a formação americana não pôde ser tão expedita como desejava, acabando por Álvaro Parente regressar à pista no oitavo lugar.

O português subiu imediatamente uma posição, começando o ataque ao sexto classificado. Contudo, quando tentava realizar a ultrapassagem na travagem para a primeira de Rivazza, o toque com o seu adversário foi inevitável, tendo este acabado por desistir na escapatória, o que obrigou à entrada em pista do Safety-Car.

Os comissários desportivos consideraram que o piloto do Porto tinha tido uma preponderância relevante no incidente e penalizaram-no com uma passagem pela via das boxes. Com o pelotão compacto, devido à situação de Safety-Car, a penalização teve um custo alto, tendo o Bentley Continental GT3 da K-PAX Racing caído para o décimo nono lugar.

Álvaro Parente conseguiu ainda ganhar uma posição, mas com a prova perto do seu fim, foi impossível ir mais além, terminando as três horas de competição no décimo sétimo lugar final.

O português estava desapontado com o resultado, uma vez que o ritmo que o GT inglês demonstrou apontava para uma boa classificação. “Perdemos muito tempo nas boxes, na segunda paragem, dado que a boxe que antecedia a nossa estava também a ser usada e isso dificultou muito a nossa acção devido à falta de espaço. Tentei recuperar e ganhar posições, mas uma tentativa de ultrapassagem não correu bem e acabámos penalizados. Foi pena para todos os envolvidos, mas por vezes as corridas são assim”, afirmou Álvaro Parente.

Apesar do resultado aquém do esperado, o português considera que existem aspectos positivos que poderão ter reflexo na restante temporada. “Penso que estávamos com um bom andamento e estávamos na luta pelos lugares do topo. O carro mostrou ser competitivo e a K-PAX-Racing esteve num elevado nível, sobretudo, se levamos em consideração que era a sua estreia na Europa e que não fez o teste da pré-temporada. Foram boas indicações para o resto da época e acredito que poderemos conquistar bons resultados”, sublinhou Álvaro Parente.

As 3 Horas de Imola foram vencidas pelo Audi R8 LMS GT3 do Team WRT dividido por Kelvin van der Linde, Mirko Bortolotti e Matthieu Vaxiviere, seguido pelo Porsche 911 GT3-R de Matt Campbell, Patrick Pilet e Mathieu Jaminet e do Mercedes-AMG GT3 de Raffaele Marciello, Timur Boguslavskiy e Felipe Fraga.

A próxima ronda do GT World Challenge Europe Endurance Cup realiza-se em Nurburgring a 5 e 6 de Setembro. No entanto, Álvaro Parente regressa à competição já a 2 de Agosto, com a segunda etapa do IMSA SportsCar Championship, que terá como palco Road America, Estados Unidos da América.

Read 50 times

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.