Monday, 28 October 2019 22:56

Open de Velocidade encerrou em Portimão

Written by
Rate this item
(0 votes)

Depois de Estoril, Vila Real e Braga, a primeira temporada do Open de Portugal de Velocidade encerrou este domingo, no Autódromo Internacional do Algarve, com muita emoção em pista nas diferentes categorias do campeonato.

Após uma Corrida 2 mais curta do que o previsto, a Corrida 3 foi disputada em formato de Endurance, com 40 minutos de duração, e teve uma das melhores grelhas da Velocidade nos últimos anos, com 22 viaturas do Open e GT4 South European Series, entre diversas máquinas emblemáticas de GT, Turismos e ex-troféu.

Na corrida mais longa do fim de semana, Francisco Mora voltou a mostrar a sua rapidez ao volante do Cupra TCR e repetiu o triunfo conseguido na Corrida 2. Nuno Batista e o Porsche 997 GT3 Cup chegaram a passar pelo comando da corrida do Open, garantindo mais uma vitória e o título da categoria G2. O mais recente 991 GT3 Cup de Pedro Marques, em estreia no Open, foi o 2.º classificado entre os G2, depois de Pedro Marreiros e Paulo Pinheiro terem ficado de fora logo na fase inicial, com problemas no seu Porsche. Problemas de transmissão também levaram José Correia a desistir nas primeiras voltas, depois de ter ganho a Corrida 1 com o Nissan GT-R GT3, enquanto a sua filha, Gabriela Correia, também ficaria de fora com problemas de sobreaquecimento no SEAT.

André Tavares e Miguel Mota superaram um fim de semana difícil, com problemas mecânicos no seu Honda Civic Type R, vencendo a Corrida 3 entre os T4, rumo ao título final da categoria. Jorge Silva e Pedro Silva também deram excelente réplica com o Renault Clio RS, enquanto Daniel Teixeira e Joaquim Santos também discutiram os lugares cimeiros sempre que tiveram o SEAT León Mk3 da categoria TCR DSG em boas condições.

Paulo Martins conquistou o título nos T2 apesar de alguns problemas eléctricos no seu Volkswagen Golf GTi, construído na Polónia para o troféu oficial da marca alemã. Quem também foi afectado por problemas eléctricos foi José Fafiães, que foi obrigado a desistir na Corrida 3 com o popular Mazda MX5 ‘Faísca’. Manuel Sousa, estreante absoluto em corridas de Velocidade, não pôde alinhar na corrida de Endurance devido aos danos sofridos no seu SEAT León TCR na Corrida 2.

ANPAC faz balanço positivo

João Macedo Silva, membro da direcção da ANPAC, destacou o trabalho feito no Open de Portugal de Velocidade ao longo de toda a temporada. “A FPAK confiou em nós para revitalizarmos a Velocidade nacional com o Open e penso que o objectivo foi plenamente atingido. Nunca é fácil criar um campeonato de raiz, muito menos na conjuntura actual da Velocidade em Portugal. Mas com muito empenho e dedicação, sem pensar noutros interesses que não fossem os do automobilismo nacional, conseguimos reunir uma grelha muito interessante e que, tenho a certeza, vai crescer ainda mais. Foi uma espécie de ‘ano zero’, mas penso que FPAK, ANPAC, pilotos e todos os intervenientes no Open podem estar orgulhosos com o trabalho que foi feito, inclusive neste fim de semana em Portimão, onde tivemos de ultrapassar vários percalços. Em nome da ANPAC quero agradecer a confiança de todos e dizer que vamos trabalhar para que o Open continue a crescer em 2020”, afirmou João Macedo Silva.

Read 168 times

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.