Monday, 20 July 2020 18:05

Group 1 Portugal arrancou no Algarve (AIA)

Written by

O Group 1 Portugal visitou o fantástico circuito do Algarve para arrancar a temporada de 2020, com dias de calor abrasador que colocou à prova não só as mecânicas dos carros, mas também os pilotos.

Corrida 1

Na primeira corrida do Group 1 Portugal realizada este fim-de-semana, Ricardo Pereira/José Basso em Ford Escort RS 2000 tinham a pole position, com Paulo Vieira em Ford Escort na segunda posição e no terceiro lugar vinha André Castro Pinheiro no seu potente Jaguar XJS, o líder da categoria H81-Max, que com os problemas mecânicos que sentiu na partida lançada gerou alguma confusão ainda na recta da meta e acaba por ficar parado na primeira curva do circuito. O Mini de Mariana Pinto Abreu também fica parado no início da recta com problemas mecânicos e com isto há apenas tempo para uma volta, antes de entrar o Safety Car e todos tinham que manter as suas posições.

Uma volta que foi suficiente para a dupla Rui Moura/Pedro Black do VW Golf GTi se colocarem em segundo lugar e António Veiga Lopes com o seu Ford Escort RS 2000, ascender ao terceiro lugar da geral e ser ainda mais líder da categoria H-75. Nisto, os donos da pole position vinham às boxes e claro, perdiam a liderança, embora regressassem novamente à pista. Nuno Nunes e Guilherme Dal Maso eram agora os líderes da categoria H81-Max e os irmãos Fresco colocavam o seu Ford Capri MKIII no segundo posto da categoria. Ricardo Gomes/Nuno Breda eram os quintos a passar com o seu BMW 1600 Ti e a liderar a categoria H71-1600. Francisco Pais Cardoso liderava a categoria 1052 e eram os sétimos mais rápidos, com os seus rivais Abel Marques/Sergio Monteiro em Autobianchi A 112 Abarth logo atrás.

Na Production Cup, onde todos utilizam os Datsun 1200 ex-troféu, o líder era agora Tomás Pinto Abreu, depois de passar Francisco Freitas, que tinha sido o mais rápido desta categoria e que era agora o terceiro. Na carambola que se formou no início, João Posser aproveitou e era agora o segundo, enquanto mais atrás, os Mini juntavam-se ao pelotão do Group 1 Portugal, com Nuno e José Dias a liderarem, depois de terem saído com 30 segundos de intervalo entre os dois grupos.

A demora no salvamento dos carros em pista levou a que o Safety Car permanecesse a liderar todo o pelotão até ao momento da abertura da janela de troca de pilotos. Mas assim que é reaberta a pista, é necessário novamente a entrada do Safety Car.

Com o grupo todo junto e a seis minutos do fim da corrida é reatada a acção. Paulo Viera continua a liderar no seu Ford Escort até ao final e Nuno Nunes/Guilherme Dal Maso são os segundos da classificação e líderes da H81-Max. Os irmãos Fresco colocavam o seu Ford Capri no terceiro lugar e eram os segundos da mesma categoria, mas não sem antes terem uma acesa disputa com os convidados do VW Golf GTi, Rui Moura e Pedro Black, António Veiga Lopes, no seu Ford Escort RS2000 (primeiro dos h75-2000) e Rui Carvalho no seu Porsche 924 (segundo dos H81-2000), que terminavam todos juntos.

Ricardo Gomes e Nuno Breda foram sétimos e líderes da H71-1600 e atrás de si terminava Francisco Freitas, em Datsun 1200, da Production Cup, mas que viria a perder o lugar na secretaria após penalização. Com isto, quem beneficiou foram os restantes homens da categoria que se seguiam, com Tomás Pinto Abreu a subir ao primeiro lugar da categoria. Seria João Posser o segundo da Production Cup não tivesse sido igualmente penalizado, fazendo subir ao segundo lugar António Lopes/Paulo Duarte, que vinham numa disputa com o Autobianchi A122 de Abel Marques/Sérgio Monteiro, os vencedores da categoria 1052. Luis Santa-Bárbara foi assim o terceiro dos Datsun 1200 e fechava o pódio da concorrida Production Cup.

Corrida 2

Com o alinhamento da grelha igual ao da corrida 1, o Group Portugal realizou a segunda prova do fim-de-semana em hora de maior calor do que a anterior, mas também com mais animação. O Ford Escort RS 2000 de José Basso/Ricardo Pereira voltava a sair na frente, mas envolvia-se na fase inicial da corrida com o outro modelo idêntico de Paulo Vieira, chegando os dois a trocar de posições, mas com a dupla da RPMotorsport a levar a melhor. Nunes/Dal Maso e levavam o seu Porsche 924 Turbo num tranquilo terceiro lugar, a liderar a categoria H81-Max, já que os irmãos Fresco se entretinham numa luta mais atrás com o BMW 1600 Ti de Ricardo Gomes e Nuno Breda da categoria H71-1600. Mas não era a única acção em pista interessante de se ver, já que mais atrás, outra luta directa, do Alfa Romeo Guilia Super de João Ribeiro, da mesma categoria do BMW que seguia na sua frente, com o Porsche 924 de Rui Carvalho.

Francisco Pais Cardoso liderava a categoria 1052, mas com Abel Marques/Sérgio Monteiro no Autobiachi A122 a pressionar o líder. Na Production Cup, Francisco Freitas liderava de forma consistente, com o seu rival mais próximo, Tomás Pinto Abreu, em sua perseguição, que trazia logo a seguir a dupla Pedro Reis/Paulo Costa com João Posser atrás, seguidos pela dupla Rui Castro/José Arantes que de debatiam com Luís Santa-Bárbara. 

Depois da janela de paragem nas boxes, os dois primeiros continuavam a rodar mais isolados na frente com vantagem para o Escort de José Basso/Ricardo Pereira, que acabaria por terminar na frente do outro Ford Escort RS 2000 de Paulo Vieira. Nuno Nunes/Dal Maso mantinham a terceira posição e venciam a categoria H81-Max, com o Ford Capri de António e José Fresco posicionados mais atrás sendo os segundos desta categoria. Quem fez uma excelente corrida foram Ricardo Gomes/Nuno Breda, que colocaram o seu BMW 1600 Ti na sexta posição e venceram a categoria H71-1600, não sem antes terem penalizado por não cumprirem o tempo correto de paragem nas boxes, o que fez com que fossem ultrapassados por Rui Carvalho, com o seu Porsche 924, que acabou por ser o quinto classificado e o terceiro da H81-2000.

Abel Marques e Sérgio Monteiro conseguiram vencer a categoria dos 1052 com o seu Autobianchi A122 e logo a seguir vinha a animada Production Cup, com Francisco Freitas a vingar-se da corrida 1 e a sair vencedor nesta segunda ronda no Algarve. Tomás Pinto Abreu não se conseguiu chegar ao seu rival e manteve o segundo posto, com a dupla Pedro Reis/Paulo Costa muito próxima. João Posser, Castro/Arantes e Santa Bárbara terminaram nos lugares seguintes por esta ordem, depois de terem andado a disputar posições entre si.

O Group 1 Portugal regressa aos circuitos nos dias 12 e 13 de Setembro, em Braga, para a segunda prova da competição. Para Diogo Ferrão, “ter uma grelha preenchida como esta é sempre motivo de orgulho e nota-se que os pilotos e equipas estavam com vontade de regressar às pistas para expelir a adrenalina depois de muito tempo em confinamento. Tenho que agradecer a todos a presença no Group 1 Portugal e fico contente por ver que a boa disposição e a camaradagem permanecem neste grupo. Com 36 inscritos em Portimão, não sei se não iremos atingir o limite da pista em Braga”.